BRICS-PED | Cultura “Mario Garofalo”
15917
page-template-default,page,page-id-15917,page-child,parent-pageid-15371,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2,vc_responsive

Respaldo estatutário: ” Parágrafo Terceiro – O Grupo de Cultura e Cinema será composto de no mínimo 2 (dois) membros, indicados pelo Presidente do Conselho de Administração (Chairman of the Board),.e destina-se à promoção cultural entre os países. Cabe ao Grupo de Cultura eCinema promover (a) festivais de cinema com filmes das duas nacionalidades (b) apoiar eventos culturais destinados à promoção da cultura de Brasil e Índia (c) intermediar negócios envolvendo o setor de entretenimento dos dois países. “

Presidente: Danilo Chaib

Vice Presidente: Thelmo Martins

 

O Grupo de Trabalho de Filmes e Cultura foi projetado para promover o intercâmbio cultural entre países. O grupo trabalha na promoção de (a) festivais de cinema com filmes provenientes de várias nacionalidades (b) para apoiar eventos culturais centrados na promoção cultural entre os países BRICS (c) ofertas intermediárias relativas à indústria do entretenimento.

 A BRICS Philharmonic Conductorless Symphony Orchestra é uma tradução, através da música – a linguagem universal – do conceito e espírito de cooperação entre os Estados membros deste bloco formado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. 

  (nosso último concerto em Dez/16 com Dr. L Subrammaniam)

Em suma, o BRICS é um acrônimo que se refere a esses cinco países que se encontram em uma etapa descrita como “emergente”, dado seu desenvolvimento econômico e social. Os cinco países constituem um grupo político de cooperação. Mesmo que o grupo ainda não seja um bloco econômico ou uma associação comercial formal, como é o caso da União Européia, os países BRICS transformaram uma definição acadêmica em uma possibilidade real de troca e esforço conjunto para melhores resultados no cenário internacional. Para isso, o espírito de colaboração era essencial. E, assim como com uma orquestra sem um condutor, Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul querem jogar a mesma pontuação em conjunto. Eles querem cooperar entre si para alcançar a excelência. A metáfora da orquestra agora se torna, de fato, literal. A realidade.

  A direção geral está sob a supervisão de Rodrigo Dora, diretor executivo da Câmara BRICS-PED (Câmara de Promoção e Desenvolvimento Econômico do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), que se encarregou de organizar este evento desde o início . A direção artística é assegurada pelo violoncelista brasileiro Danilo Chaib, cuja pesquisa sobre orquestra condutora originou a idéia do BRICS CSOrchestra.

Assim, os objetivos são também:

– Promover o intercâmbio artístico e cultural dos músicos que pertencem aos cinco países membros dos BRICS através da Orquestra Sinfônica Conductoreless (CSO);

– Enriquecer a diversidade artístico-cultural dos cinco Estados membros dos BRICS através da música sinfônica;

– Investir no trabalho técnico especializado nas áreas de música, suporte técnico, administração e produção de eventos;

– Incentivar novos talentos para mostrar suas habilidades técnicas e artísticas na música;

– Tome música sinfônica dos países BRICS para o Brasil e no exterior;

– Invista na formação do público, desmistificando a presença de um maestro em frente a uma orquestra sinfônica, aproximando os músicos e relações estreitas através da comunicação direta e mútua entre eles.

Este projeto abrange as seguintes ações integradas: nove apresentações cênicas e musicais com peças de compositores brasileiros, chineses, russos, indianos e sul-africanos; A gravação das referidas performances para transmissão posterior em TV de rede aberta; O desenvolvimento de material didático com peças de compositores.

Avançando

O projeto BRICS-PCSO pretende ser permanente, com apresentações anuais nas cidades anfitriãs da Cúpula Anual dos Chefes de Estado dos BRICS, bem como atuar prontamente em festivais de grande escala, como os organizados pelas Nações Unidas e outros Apresentações locais no Brasil anualmente. Tais eventos são o início da congregação cultural dos países BRICS que visam, acima de tudo, superar barreiras culturais e abrir oportunidades comerciais e de investimento, daí a necessidade de esse projeto ser cultivado nos próximos anos.

O projeto é o resultado da pesquisa do violoncelista brasileiro Danilo Chaib em orquestras condutoras. Por isso, inspirado na filosofia por trás dessas orquestras, de rotatividade de liderança e uma distribuição de responsabilidades mais eficiente, o BRICS-CSO foi concebido.

BRICS-PED apoia a discussão da sustentabilidade, mesmo como parte da cultura de hoje em dia, e como se tornar mais saudável e mais cooperativo na sociedade. Nós abraçamos o projeto GUIA PARA SOBREVIVAR NO SÉCULO 21 com a estrela brasileira Marcos Palmeira. Verifique o link abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=OGVBcCkGdu4 

 

A série de TV em seus episódios mostrará como podemos sobreviver em condições difíceis, estabelecer comércio e mecanismos de troca de tecnologia social, o desenvolvimento de máquinas com códigos abertos, eco-casas e fazendas urbanas em comunidades sustentáveis.

BRICS-PED suporta o Projeto Batucadeiros Percussão Corporal! Posicionamos programas de tecnologias sociais experimentados e bem sucedidos em plataformas de intercâmbio educacional. Nós ensinamos aos outros o nosso caso bem sucedido de educação na pobreza usando linguagem de percussão corporal e resgatando pessoas das ruas dando-lhes um horizonte para crescer e ter confiança em seu futuro.